Thyago Vieira teve um 2017 repleto de surpresas. Foi o ano da tão esperada estreia nas Grandes Ligas, além da participação no Future Games, o All-Star Game das ligas menores. Porém, as surpresas não pararam por aí. Após o fim da temporada, Thyago recebeu uma notícia inesperada: teria uma nova casa para a temporada 2018 da Major League Baseball, o Chicago White Sox.

A notícia, inclusive, pegou o brasileiro de surpresa, assim como a maioria das pessoas que acompanham a MLB. “Eu estava de férias com a minha família na praia e o chefe da categoria de base do Seattle mandou uma mensagem em meu celular falando que precisava falar comigo. Ele me ligou e me informou que eu fui trocado para o Chicago White Sox”, conta Thyago. Ele ressalta a gratidão que tem ao Seattle Mariners por ter dado a ele a oportunidade de jogar nos EUA. “Na conversa ele me agradeceu por todos esses anos que passei com o Seattle, e eu agradeci a ele também por todos esses anos e pela oportunidade que me deram”, completou.

A troca envolvendo o brasileiro foi por mais dinheiro para investir em agentes livres internacionais, o que ajudaria os Mariners a tentar fazer uma proposta mais atrativa para Shohei Otani. A notícia foi assimilada pelo brasileiro com naturalidade. “Eu sabia que isso poderia acontecer a qualquer momento. Dias antes vi várias matérias falando de possíveis trocas e quase em todas reportagens, lá estava meu nome”, afirmou.

O Chicago White Sox já foi casa de outro brasileiro, o também arremessador André Rienzo. Thyago contou que já conversou com o compatriota sobre a cidade e a franquia e está animado com o que pode acontecer na próxima temporada. “Assim que fui trocado, tive uma conversa muito boa com diretores do White Sox, foi bem legal e interessante. Deixo meu futuro nas mãos de Deus e vou continuar fazendo minha parte para que as coisas continuem dando certo”, finalizou.

Nos White Sox, que passam por um processo de reconstrução, a tendência é que o jogador tenha mais espaço que teria nos Mariners. Jornais de Chicago afirmam que, provavelmente, o brasileiro será utilizado na sétima ou oitava entrada e que a franquia confia no desenvolvimento do jogador.