A huge collection of 3400+ free website templates JAR theme com WP themes and more at the biggest community-driven free web design site
Home / Plantão / EXCLUSIVO: Rays apoiarão time amador no Brasil
Os Rays, representados no Brasil por Adriano de Souza (esq.), estão construindo uma academia em Garça, interior de São Paulo. (Foto: Reprodução/Prefeitura de Garça)
Os Rays, representados no Brasil por Adriano de Souza (esq.), estão construindo uma academia em Garça, interior de São Paulo. (Foto: Reprodução/Prefeitura de Garça)

EXCLUSIVO: Rays apoiarão time amador no Brasil

Os Rays, representados no Brasil por Adriano de Souza (esq.), estão construindo uma academia em Garça, interior de São Paulo. (Foto: Reprodução/Prefeitura de Garça)
Os Rays, representados no Brasil por Adriano de Souza (esq.), estão construindo uma academia em Garça, interior de São Paulo. (Foto: Reprodução/Prefeitura de Garça)

O Tampa Bay Rays vai ser o primeiro time da MLB a apoiar uma equipe amadora aqui no Brasil. Em entrevista exclusiva para o Segunda Base, Adriano de Souza, diretor de operações da franquia de St. Petersburg no país, confirmou a iniciativa, que também contará com a participação do Brooklin Bullet Dodgers e do São Bernardo Beisebol Clube. O resultado é a criação do Tampa Bay Rays Brasil, que  começará a disputar competições do cenário nacional amador nos próximos meses. A administração ficará por conta da TRS Sports Academy.

O objetivo principal da iniciativa vai ser lapidar talentos nas categorias de base, com foco na faixa etária de 7 a 18 anos. “O nosso target é nessa faixa de idades. O público do Dodgers é mais adulto, só que a visibilidade dada pela iniciativa deles foi diferente e vi ali uma oportunidade boa de trazer novos praticantes para o esporte”, disse Adriano. A equipe, que treinará no Clube Tietê, na zona norte de São Paulo, vai ter quatro categorias: a infantil, a juvenil, a adulta (que disputará a próxima edição da Liga São Paulo de Beisebol) e a feminina (no softball). Os Rays entram no negócio fornecendo o direito de imagem, os equipamentos de jogo e o apoio técnico.

Adriano, que foi jogador nos Estados Unidos, revelou que a única exigência dos Rays no projeto foi a fomentação da Little League brasileira. Ele ainda falou sobre o público do beisebol no país: “no nosso trabalho aqui, pudemos perceber que o nosso esporte é bem aceito quando ele chega até as pessoas. O problema é que ele quase nunca chega. A maioria das pessoas não tem ideia aonde ficam os espaços para jogar. E quando você leva o jogo até elas, a reação é surpreendente”.

Os Rays também estão trabalhando na construção de uma academia em Garça, cidade de 44 mil habitantes na região de Marília, interior de São Paulo. O complexo, que contará com dois campos de jogo, uma gaiola de rebatidas e um alojamento, já está com o “esqueleto” pronto e as atividades de beisebol se inciarão logo que a grama se firmar ao solo. O espaço deverá atender também a rede municipal de ensino.

Sobre Almir Junior

Graduando em Ciências e Humanidades pela UFABC, tem 19 anos, é fanático pelo Palmeiras, pelo New York Mets e pelo New York Jets; pratica beisebol desde os 14; é sócio e editor-executivo do Segunda Base

Veja também

Gennett fez história ao se tornar o primeiro jogador dos Reds a rebater quatro home runs na mesma partida. (Foto: Getty Images)

A improvável noite dos quatro HRs de Scooter Gennett

Scooter Gennett se tornou o primeiro jogador dos Reds a rebater quatro home runs na primeira partida e o primeiro desde Josh Hamilton em 2012 a conseguir o feito

'