Na noite da última quarta-feira (04), o Chase Field recebeu o jogo de Wild Card da Liga Nacional, onde os rivais divisionais Colorado Rockies e Arizona Diamondbacks duelaram pelo direito de enfrentar o (também rival) Los Angeles Dodgers na NLDS que começará na próxima sexta-feira (06). E foi uma partida sensacional, digna de um confronto de adversários da Divisão Oeste que, antes do começo da temporada regular, não eram cotados como favoritos a uma vaga para a pós-temporada.

O ataque dos D-Backs mostrou força logo na parte baixa da primeira entrada: com rebatidas simples de David Peralta e Ketel Marte, além do home run de três corridas de Paul Goldschmidt, Arizona já  havia aberto 3 a 0 contra o arremessador titular dos Rockies, Jon Gray – e tudo isto antes da primeira eliminação. A vantagem dos D-Backs poderia ter sido ampliada (especialmente por causa da forma como Gray não conseguia administrar os arremessos que ficavam dentro da zona de strike), mas a sorte favoreceu o abridor de Colorado. Mas não por muito mais tempo.

Na segunda entrada, o panorama do jogo não mudou muito, com Marte impulsionando Peralta para o home plate com uma rebatida tripla, o que encerrou definitivamente a participação de Gray na partida após somente uma entrada e 1/3 arremessada. O bullpen dos Rockies conseguiu estancar a sangria inicial, mas a vantagem de Arizona após duas entradas já era de 4 a 0.

O home run de duas corridas de Daniel Descalso na terceira entrada aumentou a vantagem de Arizona para 6 a 0, o que parecia indicar que a jornada dos Rockies estava perto do fim, certo? ERRADO! Na parte alta da quarta entrada, o ataque do time de Denver acordou e anotou quatro corridas, tirando Zack Greinke (arremessador titular dos D-Backs) da partida e botando fogo no jogo, que esquentou ainda mais no topo da sétima entrada, quando Charlie Blackmon impulsionou Jonathan Lucroy – e a quinta corrida dos Rockies – para o home plate com um bunt de sacrifício.

Contudo, também foi na sétima entrada que um daqueles herois improváveis (que só aparecem em outubro) surgiu na hora certa para Arizona: o arremessador reserva Archie Bradley conseguiu uma rebatida tripla crucial (e com dois eliminados) que impulsionou duas corridas fundamentais para os D-Backs – e justamente contra o arremessador Pat Neshek, um dos relevistas mais confiáveis do bullpen de Colorado.

Archie Bradley (25) é o primeiro jogador de relevo a conseguir uma rebatida tripla na história da pós-temporada da MLB (Foto: Getty Images)

Archie Bradley (25) é o primeiro jogador de relevo (bullpen) a conseguir uma rebatida tripla na história da pós-temporada da MLB (Foto: Getty Images)

O troco dos Rockies viria logo no topo da oitava entrada, quando Nolan Arenado esmagou um arremesso de Bradley e mandou a bola para fora do campo centro-esquerdo do Chase Field e, logo depois, Trevor Story também bateu um HR contra Bradley, este para o campo direito – a vantagem dos D-Backs voltava a ser de apenas uma corrida (8 a 7). Mas a reação de Colorado sofreria um baque (praticamente) irreversível logo na parte baixa desta oitava entrada, com a rebatida tripla de A.J. Pollock que impulsionou J.D. Martínez e Jake Lamb para o home plate com dois eliminados e contra o fechador dos Rockies, Greg Holland. A seguir, um bunt bem colocado de Jeff Mathis permitiu que Pollock anotasse a 11ª corrida dos D-Backs.

(Nota curiosa: Neste ponto do jogo, o ataque dos Diamondbacks já havia conseguido quatro rebatidas triplas, algo que não acontecia em um jogo de pós-temporada desde 10 de outubro de 1903, quando o Boston Americans – hoje, Boston Red Sox – também rebateu quatro triplas.)

A parte alta da nona entrada ainda reservaria um pouco de emoção com a oitava corrida do valente Colorado Rockies, mas Fernando Rodney conseguiu fechar o duelo, consolidando a vitória dramática dos D-Backs por 11 a 8 em seu Chase Field. Com o triunfo, Arizona está de malas prontas para o Dodger Stadium, onde começará a enfrentar os Dodgers de Clayton Kershaw naquela que é será a primeira NLDS da equipe de Phoenix desde 2011.