Muito se questiona sobre quem são os melhores arremessadores da história do beisebol, e nomes como Babe Ruth, Pedro Martinez, Cy Young e tantos outros sempre aparecem nessas listas. Mas o Japão teve um arremessador lendário que escreveu seu nome entre os maiores da história.

Sawamura EijiEiji Sawamura nasceu no dia 1º de fevereiro de 1917, em Ise, Prefeitura de Mie, no Japão, e desde criança demonstrava um talento assombroso no montinho. Mas foi no dia 20 de novembro de 1934 que Eiji teve os holofotes virados para si.

Naquela ocasião, pela primeira vez na história uma equipe lendária da MLB fez uma excursão rumo ao Japão, algo em âmbito mundial que repercutiu em todos os lugares que admiravam beisebol. Em um dos jogos da exibição, com apenas 17 anos, o destro arremessou por cinco entradas contra o time de All-Stars da MLB, e esse era formado por lendas como Babe Ruth, Jimmie Foxx, Lou Gehrig, Charlie Gehringer, entre outros.

Eiji cedeu apenas uma corrida (Home Run de Lou Gehrig) e cedeu uma base, mas aplicou dez strikeouts, sendo que eliminou o “quadrado de ferro” em sequência. Vale contextualizar que, nessa época, os strikeouts eram bem raros. Para se ter uma ideia, em 1934 o líder da MLB nesse quesito foi Paul Dean, com apenas 5,7 por nove entradas. Um arremessador japonês conseguir quase o dobro disso em cinco entradas foi assustador.

Connie Mack, técnico do Philadelphia Athletics e do All-Stars na época, ficou tão impressionado com o desempenho monstruoso de Eiji que, após o jogo, tentou assinar um contrato com Eiji para jogar na MLB. Mas no Japão existia um sentimento anti-americano, e ele recusou a oferta. “Meu problema é que eu odeio os Estados Unidos, e eu não posso fingir, como fazem os americanos” – disse Eiji.

Em 1936, Eiji estreou como profissional pelo Tokyo Kyojin (atual Yomiuri Giants). Com o passar dos jogos, ele se tornou o ace do Kyojin. E no dia 25 de setembro de 1936, ele arremessou o primeiro no-hitter da história do beisebol japonês, e naquele ano, logo em sua temporada de estreia, se sagrou campeão da Japanese Baseball League.

Ele continuou sendo o ace do Tokyo Kyojin até 1943, em pleno período de Segundo Guerra Mundial, conquistando mais três títulos da Japanese Baseball League, em 1940, 1941 e 1943. Eiji tem 85 jogos oficiais como profissional em toda a sua carreira, com 63 vitórias e 22 derrotas, ERA de 1.74, eleito MVP da Japanese Baseball League em 1937 e quatro vezes campeão.

Como o Japão e o mundo viviam um dos períodos mais conturbados da história, a Segunda Guerra Mundial, Eiji, que tinha 27 anos na época, engajou na Marinha Imperial Japonesa no fim de outubro de 1943. E no fatídico 2 de dezembro de 1943, próximo a Yakushima, o esquadrão militar do qual Eiji integrava, outrora comandado pelo Almirante Yamaguchi Tamon (responsável pelos ataques a Pearl Harbor), foi bombardeado pelo submarino americano USS Sea Devil (SS-400), e ali a guerra levava uma lenda do beisebol.

16 anos após sua morte, em 1959, Eiji foi inserido no Hall da fama do beisebol japonês.

Eiji também serviu de inspiração para o mangaká Yuuji Terajima, autor do mangá Diamond no Ace. O protagonista da história, Sawamura Eijun, tem o nome, personalidade e windup inspirados em Eiji, mesmo ele sendo canhoto. O mangá foi adaptado para anime pelos estúdios Production I.G e Madhouse, contendo duas temporadas e três OVAs (episódios especiais).

[divider style=”solid” top=”20″ bottom=”20″]

Dê sua opinião! Comente abaixo, siga-nos no Twitter em @segundabasebr e curta-nos no Facebook.